segunda-feira, 18 de abril de 2011

Fungos que atacam o morangueiro

Um dos principais problemas na cultura do morango é a incidência de doenças, que podem aparecer em várias fases do ciclo da cultura, atacando desde a muda recém plantada até os frutos na fase final de produção. As principais doenças da cultura são a seguir descritas.

Antracnose


Causada por um fungo (Colletotrichum gloreosporioidis, C. acutatum e C. fragariae), produz lesões e estrangulamento em estalões, pecíolo, pedúnculo, fruto  e coroa da planta. Nos frutos as lesões são arredondadas, aprofundadas e firmes. As manchas podem ser escuras ou marrom claro, tornando-se alaranjadas no centro quando ocorre a produção de esporos ("semente da doença"). A podridão é mais comum em frutos maduros, mas em surtos severos, frutos verdes também são atacados. Nos pecíolos, pedúnculos e estalões, as lesões são escuras, aumentam de tamanho, tornando-se pretas e aprofundadas. Quando ataca a coroa, provoca podridão, murcha e morte da planta. Ao ser cortada a corroa apresenta uma coloração avermelhada.


Fonte:Google
 
Micosfarela

É uma doença importante causada por Mycosphaerella fragaria (Tul.) Lindau. Produz lesões nas folhas  principalmente, nos pecíolos e estolões. Nas folhas, a lesão inicia com uma pequena mancha de coloração púrpura, que aumenta até 3-6 mm de diâmetro. O centro torna-se marrom, evolui para cinza e finalmente branco nas folhas maduras. Nos estalões, pecíolos e cálices, as lesões são semelhantes às das folhas. Em condições de tempo úmido e quente, pode não ocorrer a coloração púrpura-avermelhada em torno da lesão. Em tais condições, o centro acinzentado pode surgir em folhas jovens.

Fonte:Google

Mofo cinzento


Causada por Botrytis cinerea Pers. Ex Fr., causa podridão dos frutos e ataca também as folhas, pecíolos, caule, botões florais e pétalas.

A podridão pode iniciar em qualquer ponto da superfície do fruto, mas geralmente começa no lado do fruto em contato com o solo. O tecido infectado é marrom claro, e posteriormente desenvolve abundante massa de micélio e esporos de aspecto cotonoso.

A doença é favorecida por temperaturas amenas e alta umidade, que é o fator mais importante. Chuvas freqüentes induzem ataques severos. O fungo pode sobreviver a o inverno em restos de culturas.


Fonte:Google

Mancha de dendrofoma

Causada por Phomopsis obscurans (Ell. & Ev.) Sutton (sin. Dendrophoma obscurans (Ell. & Ev.) H.W. (Anderson) produz lesões nas folhas maduras , frutos e cálice. Nas folhas, inicia com pequenos pontos avermelhados. Posteriormente, as lesões apresentam uma zonação, com a porção interna marrom claro, circundada de vermelho ou amarelo. As lesões velhas próximas às veias principais, apresentam em forma de V. Nos frutos maduros ou em fase de maturação produz manchas arredondadas cor rosa-claro, evoluindo para marrom-claro nas margens tornando-se mais escuro em direção ao centro.

Fonte:Google

Verticilose

É causada por Verticillium spp, um habitante do solo. Os sintomas normalmente aparecem na primavera, em condições de estresse, devido à alta temperatura, alta insolação ou seca, que interrompem o clima ameno do início do ciclo. As folhas externas ficam de coloração marrom, murcham, as centrais tendem, a permanecer verdes e túrgidas , e, finalmente a planta morre. A doença tende a ser mais severa no período de produção, principalmente em lavouras com alto nível de nitrogênio.
Fonte:Google

Furiose

É causada por Fusarium spp., seu desenvolvimento é favorecido por altas temperaturas que fazem com que as folhas murchem  rapidamente e morram. Em condições de temperatura amena, as folhas amarelecem, em vez de murcharem.

Fonte:Google


Podridão mole

Causada por Rhyzopus stolonifer (Ehr. Ex Fr.) Lind., produz uma podridão aquosa podendo atacar em qualquer estádio de desenvolvimento. É mais séria durante o armazenamento e comercialização. Para evitar a doença, é necessário um bom manejo e limpeza das caixas de colheitas.

Fonte:Google

Oídeo

Causada por Sphaerotheca macularis, é uma doença severa sobre as plantas de morangueiro, principalmente quando cultivadas em estufa plástica. O Sintoma característico é a presença de micélio e esporos do fungo (pó branco) em ambos os lados da folha. Nas folhas, podem ocorrer deformações, como enrolamento de bordas, principalmente, se a infecção iniciar antes de seu completo desenvolvimento. Flores e frutos, em todos os estádios de desenvolvimento, são suscetíveis. Frutos maduros permanecem firmes e carnudos com profuso micélio branco sobre a superfície.


Fonte:Google

 Fonte:http://sistemasdeproducao.cnptia.embrapa.br/FontesHTML/Morango/SistemaProducaoMorango/cap06.htm#topo

Um comentário: